Páginas

Pesquisar este blog

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Sobre a cabeça deformada e a minha experiência

Quando Artur nasceu percebemos que sua cabecinha estava amassada do lado direito, dentre outras deformações não percebidas por qualquer mortal. Os pediatras da maternidade disseram ser comum este fato, que era proveniente da posição que ele ficou na barriga nos últimos meses da gestação e que isso não era motivo suficiente para que nos alertassem da necessidade de cuidados específicos, simplesmente disseram "- isso será corrigido durante seu crescimento/desenvolvimento", e só!

A pediatra que o acompanha, desde o nascimento, também achou que até o sexto mês poderia ser corrigido naturalmente com a ajuda de rodilha [uma fralda de pano enrolada no formato da cabeça] SQN! Artur nunca gostou deste acessório, ele choramingava até que a gente retirasse, mesmo assim insistimos no uso pensando no "benefício" da correção de sua cabecinha. E um outro detalhe: ele só queria deitar virado para o lado esquerdo, só queria pegar brinquedos do lado esquerdo, só nos dava atenção do lado esquerdo!

Acontece colegas, que ele completou seis meses, e a cabeça da minha criança NÃO ficou redondinha como de todo bebê normal, eu também percebi que ele não dá a mesma atenção quando emitimos sons ou oferecemos algo do lado direito. Tem gente que nem percebe, mas dá pra ver à olho nú sim, repare:


Trecho retirado de um site especializado em informações para mamães e bebês:
"Por conta da notória deformidade na cabeça, já existem alguns relatos de adultos que desenvolveram bloqueios e problemas psicossociais refletidos em todos os aspectos da vida por causa da assimetria. Como a reversão só pode ser feita quando a criança ainda é muito pequena, a decisão é total dos pais, o que os torna responsáveis pelo tratamento."                                     

FONTE: guia do bebê

foto: google images

Nós, os pais, achamos que estamos perdendo tempo demais acreditando ser uma coisa simples de resolver, baseado apenas na opinião da pediatra. Na última consulta, ela alertou para uma plagiocefalia deformacional ou posicional. Daí que fiquei encucada que p@rra é essa que "de repente surgiu" no meu filho, dito perfeito desde o nascimento. Ela recomendou sessões de fisioterapia, que nada mais é uma estimulação para que ele perceba/utilize o seu lado direito.

Pesquisei sobre a tal patologia e constatei que a idade de corrigir É AGORA enquanto a fontanela [moleira] está aberta, e o pior....em alguns casos é necessário o uso de uma órtese [capacete], de uso contínuo [só tira para tomar banho], por aproximadamente 6 meses, com visitas periódicas ao neuropediatra para ajuste da mesma.

foto: google images

AGORA senta pra saber quanto custa e onde é feita...sentou? Então lá vai...

Em torno de R$ 10.000,00 [isso mesmo, DEZ MIL REAIS], engoliu à seco??? recomendo beber um copo d'água pra saber mais...isso é uma média, ou seja, pode ser um pouco mais...tomou?

Uma única clínica em São Paulo realiza um "escaneamento" do crânio para tirar as medidas e faz a encomenda nos EUA. Depois de pronto, é necessário algumas visitas para ajuste, ou seja, teremos que ir à SP mesmo "sem vontade" [$$].

Esta clínica só existe no Brasil porque o dono, um neurologista, especialista em assimetrias cranianas, passou pelo mesmo problema com sua filha. Percebendo a falta de prestação deste serviço, criou a dele, esperto né? Também, se não fosse na própria pele, talvez ele nem teria percebido esta demanda, assim como, o hospital Sarah Kubitschek surgiu pela necessidade de tratamento para a filha do presidente Juscelino, a diferença é que neste último, o tratamento é gratuito.

Pobre tem mais é que procurar o serviço público ao invés de ficar reclamando da vida, conheci uma anja de jaleco, que me indicou o CEPRED, orgão que cuida de pessoas com qualquer tipo de deficiência. Como todo serviço público brasileiro, tem seus problemas, mas com muita fé, conseguiremos.

Enquanto isso, o bebê em questão, segue lindo e sorridente com sua cabeça torta.

Até a cena dos próximos capítulos!

Um comentário:

Anônimo disse...

como ele ficou depois de passados esses anos?